Saúde confirma primeiro caso de morte por gripe em Foz do Iguaçu

Share Button

A secretaria de saúde confirmou hoje (16) o primeiro caso de morte por gripe na cidade este ano. A vítima é um homem de 93 anos, morador de Foz, que não havia tomado a vacina contra gripe e quando passou mal procurou o sistema de saúde. Esta é a primeira morte por gripe H3N2 no município. Em 2016, a saúde registrou 27 mortes por H1N1 em Foz do Iguaçu.

De acordo com a responsável pelo Programa de Imunização do Município, Adriana Izuka, este é um tipo comum de gripe para esta época do ano, mas que pode se agravar dependendo das condições de saúde do paciente. “A H3N2 é um tipo de influenza A, às vezes circula mais H1N1 e às vezes mais H3N2, este ano o vírus predominante é o H3N2, cada ano tem uma sazonalidade”, explicou.

Os tipos de vírus que circulam no município são medidos pela unidade sentinela. “A unidade observa as coletas das pessoas com síndrome gripal. São coletadas amostras em cinco pessoas aleatórias por semana, para saber qual vírus em circulação no município e esse ano está mais H3N2”, esclarece.

Vacinação

A responsável pelo programa de imunização lembra que o grupo de risco tem até o dia 26 de maio para se vacinar em qualquer unidade de saúde. A meta é vacinar 90% das 67 mil pessoas que compreendem os grupos prioritários.

Até o momento, 31.9734 receberam a imunização, total representa 45% da meta. “O volume está abaixo do esperado, especialmente no grupo de crianças e gestantes. Apenas 27% das crianças foram vacinadas, e 32% das gestantes”, disse Adriana.

Até o momento, 5.049 crianças receberam a dose da vacina, a população total de crianças em Foz do Iguaçu é de 18.324. Já as gestantes, apenas 1.075 das 3.300 procuraram a vacina, total representa 32% de vacinação. Foram vacinados 13.574 dos 20.321 idosos (67%) e 1.900 dos 4.000 professores (47%).

Segundo Adriana Izuka, o objetivo da vacina é reduzir a mortalidade causada pela Influenza. “Contamos com a conscientização das mães, para levarem os filhos, das crianças e de todos que estão dentro do grupo prioritário, para procurarem a vacina”, disse.

Grupo prioritário

Precisam receber a vacina crianças com idade entre seis meses e menores de cinco anos, trabalhadores da área da saúde pública e privada, gestantes, mulheres no pós-parto de até 45 dias, idosos com idade acima dos 60 anos, pessoas com comorbidade (estas deverão apresentar comprovação médica da doença), população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e professores.

A vacina contra a Influenza protege contra todos os tipos circulantes da gripe, incluindo o H1N1 e H3N2. É contraindicada para pessoas com história de reação anafilática prévia em doses anteriores, como também a qualquer componente da vacina, ou alergia comprovada grave relacionada a ovo e seus derivados.