Renan planeja para 17 de maio a votação do impeachment de Dilma no Senado               

Share Button
Foto: Agência Senado
Foto: Agência Senado

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), planeja votar em plenário no dia 17 de maio, uma terça-feira, admissibilidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, que, se aprovado, levará ao afastamento. A reportagem teve acesso a um calendário por escrito montado pelo senador com seis etapas até a votação no dia 17.

A primeira é a leitura nesta terça (19) da decisão da Câmara, que aprovou a abertura do processo no último domingo (17). O próximo passo é sexta (22), prazo final para indicação dos membros da comissão. O calendário então menciona o dia 26 para eleição desta comissão em plenário e cita sua instalação como “possivelmente” no mesmo dia ou na quarta (27).

O quinto passo do rito menciona as datas de 10 e 11 de maio para votação do parecer na comissão especial. A partir daí, o documento destaca a necessidade de 48 horas para que a decisão seja levada à plenário. O último ponto do calendário estabelece então 17 de maio, uma terça-feira, como votação em plenário, já que, pela interpretação de Renan, não pode ocorrer sessão deliberativa às sextas e segundas.

O presidente do Senado reuniu-se com líderes dos partidos nesta terça para definir o rito. A oposição, pró-impeachment, pressiona para que a trâmite seja acelerado, mas o senador, próximo politicamente da presidente Dilma Rousseff, sinaliza que não vai ceder.

Fonte: Gazeta do Povo