Projeto expedição Rio boicy reúne prefeitura e universidades em Foz do Iguaçu

Share Button

Um projeto de recuperação de áreas degradadas às margens do Rio Boicy, um dos maiores de Foz do Iguaçu bem como a realização do chamado Parque Linear está sendo trabalhado pela Prefeitura de Foz do Iguaçu, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, do Instituto de Habitação, Fozhabita, Secretaria de Planejamento em parceria com Universidades como a Uniamérica, Unila, Unioeste, Itaipu Binacional, PTI, Municípios Lindeiros, Sanepar e outros. Uma ação esperada por toda comunidade que há mais de vinte aguarda por um projeto de revitalização como este.

De quinta-feira (7) à domingo (10) representantes de cada um dos envolvidos ao projeto estiveram reunidos na Expedição pelas nascentes do Rio, mapeando ações estratégicas que serão desenvolvidas a partir de agora. Com base no diagnóstico feito durante a expedição poderá ser definido um laudo para integrar ao projeto, servindo de base e apoio à captação de recursos e demais parceiros.

O prefeito Chico Brasileiro esteve presente no ato solene que marcou a apresentação do projeto de recuperação do Rio Boicy e do Parque Linear, realizado na tarde do feriado de 7 de Setembro, em uma Praça do bairro Portal da Foz, nas proximidades do Rio. O vereador Celino Fertrin participou da cerimônia representando a Câmara Municipal, o ato também contou com a presença de secretários municipais, universitários e moradores da região.

Manter áreas de mata ciliar preservadas e, sobretudo, dar o devido tratamento ao esgoto são bases importantes que integram o projeto macro de revitalização do rio. Isso porque ajudam a evitar a erosão e mantém as nascentes limpas, equilibrando todo o ecossistema.

“Esse projeto é uma união de forças, tudo o que está acontecendo foi devido a um pedido do prefeito de que produzíssemos um projeto de revitalização ao Rio e procuramos as Universidades para serem nossos principais parceiros, encabeçando conosco essa ideia de revitalizar. Por isso, esse passo de agora está sendo muito importante porque será, através desta expedição, indo até as principais nascentes do Boicy e mapear ações estratégicas, fazendo um diagnóstico detalhado de todo trecho do rio para que seja elaborado um laudo técnico. Cada trecho do rio diagnosticado será feito planejamento para delimitar as ações de intervenções necessárias para cada trecho do rio como a retirada de famílias que moram às margens, tratamento do esgoto, desassoreamento, limpeza, entre outras que deverão ser feitas por etapas, a partir do momento que tivermos o projeto pronto, as condições para isso e os recursos para o investimento”, disse o secretário de Planejamento Elsídio Cavalcante.

Segundo Alexandre Martins Balthazar, coordenador do curso de Arquitetura e Urbanismo da Uniamérica, à pedido da Secretaria de Planejamento a Universidade aceitou o convite para integrar o projeto macro de revitalização do Boicy, ajudando na construção de todo este processo. “Com apoio da Prefeitura conseguimos sensibilizar a Unila, a Itaipu, a Aldeias Infantis, e outros parceiros e percebemos que o projeto transcendeu a Uniamérica e a Prefeitura, tornando-se um projeto da cidade, criando um colegiado com participação de todos os representantes da sociedade trabalhando em conjunto. Estamos na primeira fase que é o diagnóstico, levantando as condições reais da bacia, ocupações, problemas relacionados ao lixo, falta de saneamento, falta de infraestrutura urbana, fechando em 15 dias esse diagnóstico para então iniciar o desenho do projeto do Parque Linear incluindo ciclovias, pista de caminhada, equipamentos urbanos que serão necessários, com análises de água, pesquisa com moradores, enfim, um projeto que será bem estruturado e feito para a comunidade de Foz”, destacou Balthazar.

Para o prefeito, o projeto representa um avanço para o Município. “Este é um dos maiores rios da nossa cidade, é importante que a gente cuide desse rio, que possamos revitalizar, pensar num projeto grande, ousado para garantir a vida do rio, a vida das pessoas que moram às margens do rio, e, trabalhar numa perspectiva à médio e longo prazo, usando a sustentabilidade para recuperação desta área que infelizmente está degradada. É hora de olharmos com mais atenção e termos um projeto completo para contemplar a cidade, os moradores e o próprio rio Boicy”, enfatizou Chico Brasileiro.

Por: AMN