No Paraná, 96% das cidades têm desenvolvimento alto ou moderado

Share Button
Foto: Divulgação Portal do Município de Maringá
Foto: Divulgação Portal do Município de Maringá

O Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal (IFDM) 2015, divulgado nesta sexta-feira (4), revela que 96% das cidades paranaenses têm nível de desenvolvimento alto ou moderado. O estudo destaca, ainda, que o estado não possui qualquer cidade de baixo desenvolvimento e que 45 de seus municípios estão entre os 500 melhores do país.

“É um resultado que nos motiva a continuar perseguindo os nossos objetivos de elevar os indicadores de desenvolvimento social e econômico do Estado”, afirmou o governador Beto Richa. A seu ver, o Paraná consegue harmonizar desenvolvimento econômico e inclusão social, como afirmam vários levantamentos recentes. Ele cita a pesquisa do IBGE/Ipardes, que mostrou que o Paraná se tornou a quarta maior economia do País em 2013; da PNAD, que demostra que o Paraná registrou, no terceiro trimestre de 2015, um salário médio 12% superior ao do Brasil, e do Ipea, que atesta que o Estado é o que tem a segunda menor desigualdade social do País.

INDICADORES – Criado pelo Sistema da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (FIRJAN) para acompanhar o desenvolvimento socioeconômico do país, o IFDM avalia as condições de educação, saúde, emprego e renda de todos os municípios brasileiros. Em sua nova edição, o estudo usa base em dados oficiais de 2013, últimos disponíveis.

O índice varia de 0 (mínimo) a 1 ponto (máximo) para classificar o nível de cada cidade em quatro categorias: desenvolvimento baixo (de 0 a 0,4), regular (0,4001 a 0,6), moderado (de 0,6001 a 0,8) e alto (0,8001 a 1).

Dos 399 municípios do estado, 383 possuem o IFDM moderado (entre 0,6 e 0,8) ou alto (entre 0,8 e 1,0), o que corresponde a 96%. No Brasil, a média de cidades com esse nível de desenvolvimento é de 68,1%.

Para o presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes), o bom índice conquistado pelo Paraná se deve ao desenvolvimento do Estado como um todo. Em 2013, ano no qual a pesquisa da Firjam se baseia, o Paraná se tornou a quarta maior economia do País.

LIDERANÇA – Maringá ocupa a primeira posição no ranking estadual, com 0,8740 ponto, seguida de Apucarana (0,8729), Cianorte (0,8647), Campo Mourão (0,8643), Paranavaí (0,8627), Curitiba (0,8618), Pato Branco (0,8607), Medianeira (0,8545), Francisco Beltrão (0,8511) e Toledo (0,8507), que está na 10ª colocação.

De acordo com o estudo, dessas dez cidades, a primeira colocada, Maringá, apresentou avanço nas três vertentes e, com isso, galgou duas posições em relação à medição anterior. “Maringá consegue combinar bom resultado econômico, em parte influenciado pelo agronegócio, com bons serviços de educação e saúde”, explica Suzuki Júnior.

Na segunda posição estadual, Apucarana perdeu a liderança devido, sobretudo, à queda de 6,3% em emprego e renda. O grupo dos dez melhores municípios paranaenses tem alto grau de desenvolvimento e todos eles estão entre as 100 maiores notas do Brasil no IFDM.

DESENVOLVIMENTO – O IFDM destaca que para conquistar uma posição entre as dez melhores do estado, as cidades registraram alto desenvolvimento em educação e saúde e, no mínimo, resultado moderado em emprego e renda. O índice também revela que sete desses municípios apresentaram crescimento em educação e cinco em saúde, ao passo que seis deles tiveram queda em emprego e renda, variável mais suscetível às flutuações do ambiente econômico.

Por: AEN