Legislativo aprova requisito de ensino médio para cargo de Agente de Apoio

Share Button

apoio

A sessão extraordinária desta quinta-feira (08) foi pautada por uma discussão em cima de uma subemenda, de autoria do Vereador Hermógenes de Oliveira (PMDBV), apresentada ao projeto de lei n°91/2015 que cria o cargo de agente de apoio aos Cmeis, fixando como requisito mínimo para ingresso no cargo a formação completa em Ensino Médio e não em Ensino Fundamental, como previa o projeto original.
O Plenário aprovou a proposta com o voto contrário dos Vereadores: Nilton Bobato (PCdoB), Anice (PT), Luiz Queiroga (DEM) e Gessani da Silva (PP). O vereador Nilton Bobato (PCdoB) defendeu sua posição de que “a proposta é tirar o ensino fundamental e colocar ensino médio, mas continuo com o mesmo posicionamento de que a emenda é inconstitucional. Estamos criando alguns problemas futuros, isso não resolve a atuação do professor em sala de aula. A população disse aqui em audiência pública que em determinados momentos esse agente de apoio vai substituir o professor. Vou manter meu voto contra a emenda por entender que ela não resolve a questão”.
O autor da subemenda, Vereador Hermógenes de Oliveira (PMDB), explanou “nós sentamos com o Sinprefi que deixou bem claro também que não é o que eles querem, mas é o que temos porque hoje temos um déficit que quase quatro mil vagas nas creches. Não estou mexendo em vencimentos, mudamos a escolaridade e a nomenclatura apenas. Estamos precisando urgentemente disso porque não há mais como esperar a abertura de quatro mil vagas”.
“Surpreende-me a posição e a postura do governo aqui, essa emenda tem vício de origem. Ela não pode ser apresentada por nós vereadores. Outros mecanismos de resolver esse problema era retirar o projeto e mandar outro com as alterações necessárias”, defendeu a Vereadora Anice (PT).
O Vereador Dilto Vitorassi (PV), por sua vez, defendeu que se fizesse a alteração necessária ao projeto, a fim de permitir a abertura de mais vagas nas creches.  “A vida é uma lição, um aprendizado para nós, aos poucos a poeira foi abaixando e parece que nossos vereadores têm outro entendimento. É uma forma de achar um jeito para que as coisas não avancem, estamos diante de uma coisa muito séria. Essa casa de leis votará porque estamos sendo extremamente pressionados por várias pessoas que precisam de creches. Que a gente vote pelas quatro mil crianças que precisam de creches a estrutura dos cmeis já está pronta”. Com a aprovação da subemenda o projeto vai à nova redação para que na próxima semana entre em votação pelos parlamentares.

Por: CMFI