De olho nas eleições de 2018, vereadores de Foz do Iguaçu já se articulam nos bastidores

Share Button

Do Oiapoque ao Chuí, as eleições de 2018 serão uma das mais concorridas e difíceis da Nova República. O analfabetismo político, a baixa confiança na classe política, corrupção e as últimas descobertas da “Operação Lava Jato”, estão contribuindo para a formação deste cenário hostil e desconhecido.

De olho nas eleições de 2018, políticos de todas as regiões do Brasil estão se articulando nos bastidores, inclusive, realizando acordos indecentes para vencer a desconfiança do povo.

Em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, a situação não é diferente, alguns vereadores da cidade que recém tomaram posse – 1º de janeiro de 2017 – já partiram para uma pré-campanha, mesmo que tímida, como possíveis candidatos a deputado. O fato chama a atenção, pois, não se passaram nem 200 dias de mandato e já estão de olho em outro cargo.

Infelizmente, no Brasil existe uma casta de políticos que não cumprem o mandato até o fim, e que não honram os votos que recebem de seus eleitores, e são capazes devido às suas ganâncias, de abandonar um mandato de vereador (abusam do direito de licença) para tentarem se eleger a deputado, ato este, cada vez mais repudiado pelos eleitores.

OPOSIÇÃO NA CÂMARA

Praticamente sem oposição na câmara de vereadores, o prefeito Chico Brasileiro (PSD), vive um bom momento no seu governo, porém essa tranquilidade está com os dias contados.

A razão é muitos simples, todas as pessoas que ocupam um cargo eletivo, sabem que ser oposição no parlamento é muito mais vantajoso, do que pertencer à base governista. A sociedade no geral tende a “idolatrar” os discursos acalorados da oposição, que em muitos casos, são carregados de falácias e de factoides.

Em busca de visibilidade para 2018, alguns vereadores começarão a trilhar o caminho do “quanto pior, melhor”. Tais “opositores” criticarão todas as ações do executivo, com o único objetivo de se promoverem como os únicos defensores da moralidade e dos bons costumes.

Vale lembrar, que o papel da Câmara de vereadores é legislar e fiscalizar o executivo, porém sempre obedecendo os princípios da administração pública como; a legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e a eficiência.

NOVOS TEMPOS

O Brasil passa por uma drástica mudança no que diz respeito à política, nunca antes na história, tantos políticos estão pagando na justiça pelos erros cometidos ao longo do mandato.

As eleições municipais de 2016 deixaram claro que os políticos de carreira e aqueles que não cumprem o mandato até o fim, estão sendo rejeitados pelos eleitores, em 2018 não será diferente.

Foto: Divulgação / CMFI