Chico Brasileiro vota contra venda de ações da Copel e Sanepar

Share Button

O deputado estadual Chico Brasileiro (PSD) votou nesta segunda-feira (19), em Curitiba, contra a venda de ações da Copel e da Sanepar por entender que o governo não deu as devidas explicações para a operação. Mesmo assim, o projeto de Lei 435/2016, que prevê também a venda de imóveis de 11 órgãos públicos sem autorização da Assembleia, foi aprovado por 29 a 17 votos.

Para Chico Brasileiro, a proposta deveria ter sido amplamente discutida com a sociedade. “Esse tema não deveria ser abordado apenas por esta Casa e, sim, ser levado a plebiscito”, afirmou. Em sua opinião, caso ocorresse uma consulta popular, “veríamos o povo do Paraná, que é o verdadeiro dono dessas empresas, dizer não à venda das ações da Copel e da Sanepar”.

Ele lembrou que esta é mais uma tentativa do governo de se apropriar do patrimônio público para tentar reequilibrar as suas contas. “Lamento que tenhamos de passar por uma venda de ações de empresas tão importantes e lucrativas, que tanto nos orgulham por serem empresas públicas”, afirmou.

Ele comparou a aprovação da venda das ações com as alterações nos fundos da Paraná Previdência no início de 2015, quando ocorreu o massacre do dia 29 de abril. “Mexeram na previdência dos servidores e cadê o dinheiro? Qual foi a cidade que recebeu um grande investimento com aqueles recursos?”, questionou. “Agora vai ser a mesma coisa porque o governo não explicou onde irá aplicar os recursos da venda de ações”.

IMÓVEIS – Além das vendas das ações, o projeto de Lei prevê ainda a venda de dezenas de imóveis “não utilizados” que pertencem hoje a 11 estatais, como Codapar, Cohapar, Ceasa, Celepar e Ferroeste. “Do mesmo modo, o governo não explica quais são esses imóveis e nem onde os recursos serão aplicados”, destacou Brasileiro.