Casal é preso no aeroporto transportando bloqueadores de sinal de satélite

Share Button

Nesta terça-feira (13), em abordagem no Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu, servidores da Receita Federal realizaram a retenção de quatro aparelhos bloqueadores de sinal de satélite. Tal abordagem acabou tendo desdobramento que resultou na prisão de um casal no Aeroporto de Guarulhos/SP.

Por volta das 13h, durante abordagem a um casal de passageiros, servidores da Receita Federal identificaram equipamentos eletrônicos na sua bagagem. Ao serem questionados sobre o tipo do equipamento, o casal informou que eram rádios comunicadores para crianças. Suspeitando da veracidade do relato feito pelo casal, os servidores tentaram identificar a natureza do aparelho, que poderia tratar-se de bloqueadores de sinal de satélite sem contudo chegarem a uma conclusão definitiva a respeito, optaram por realizar a retenção destes para posterior verificação.

Como após a abordagem, apareceram indícios de que o casal estaria levando de forma ilegal mais equipamentos similares, os servidores da Receita Federal acionaram os agentes da Polícia Federal que trabalham no aeroporto de Foz do Iguaçu e solicitaram uma nova abordagem ao casal no Aeroporto Internacional de Guarulhos, destino final do voo.

Na desembarque do casal no Aeroporto Internacional de Guarulhos, agentes da Polícia Federal os abordou e em revista às suas bagagens foram encontrados mais três aparelhos similares aos que foram retidos anteriormente. De posse da informação da Receita Federal de que havia forte suspeita de que os aparelhos eram bloqueadores de sinal de satélite, o casal foi encaminhado até a Polícia Civil do próprio aeroporto para averiguação. Lá foi constatado que o casal estava sendo investigado por participação em uma quadrilha de roubo de cargas sendo, portanto, prontamente foram detido. Os equipamentos provavelmente seriam utilizados para bloquear sinal de rastreadores desses veículos. No total foram apreendidos 7 aparelhos que foram valorados em mais R$ 8 mil.

Por: Comunicação da Receita Federal